Fêmea no cio - comida na chuva

Categoria: Heterossexual
Data: 23/05/2008 15:31:37
Última revisão: 17/12/2008 21:55:14
Nota 9.67

... E foi bom! Mas sendo assim... Sempre, sem exceções: as coisas acontecem na hora certa, fato consumado. Outras mais incertas... Apesar de aparentes incertezas do que seja certo ou errado, o relativo se mostra: aconteceu? É porque tinha que ser. Desde que seja a hora qual for, sempre será a certa, caso não fosse, não teria acontecido.

Surreal? Abstrato? Literais ou não? Então... Vamos aos fatos:

Todas as manhãs eu corria. Aliás, corro. Corro religiosamente todos os dias por volta das seis horas e cinqüenta minutos às sete. Sempre é bom. Prazeroso. Percorro um trecho de duas horas caminhando. Destas duas, ando trinta, corro uma e trinta, e caminho novamente. Diversas pessoas cruzam meu caminho. Mais homens que mulheres. O local é belo, repleto de árvores, e sem querer fazer trocadilhos, até ipês-amarelos! Muitos pássaros cantam, e confesso, me encantam... Enfim, cenário perfeito para o bem estar.

Naquela manhã de sábado tudo parecia estar diferente. Saí de casa e o tempo não estava aberto, meio nublado. Caminhei... Avançando pelo caminho habitual alcancei a BR, o tal cenário perfeito de que tanto falo. Perfeito por não ter praticamente carro algum a cruzá-la, é um trecho histórico, portanto mais fechado. Todavia eu estava me preocupando... Creio que os costumeiros passantes que por ali se exercitavam não haviam ido, visto que o tempo de nublado já se mostrava negro.

Pingos começaram a cair. Continuei, temerosa, mas fui. Caso fenômenos astrológicos, como relâmpagos e trovões, ocorressem, seria perigoso, visto que o local além de muito aberto é repleto de árvores imensas.

Implacável a chuva caiu.

Eu estava vestida de uma maneira compatível com alguém que vai praticar alguma atividade física: camiseta branca, um short não muito curto e preto, tênis, meias, enfim... O normal. Com a chuva comecei a me preocupar mais ainda com a transparência da camiseta que era justa, para firmar meus seios (não que precisem, pois são médios e perfeitos num contexto de um corpo que tem 54 kg divididos em 1,70m) para uma melhor corrida, e uma espécie de top, mais justo ainda, também branco, por baixo.

E cai chuva... Cada vez mais forte - molhada!... Meus seios ficaram à mostra...

Surgiu do meio do nada repleto de árvores um rapaz. Aparentava ser mais jovem do que eu com meus 27 anos. Deduzo que uns 21 anos, muito. Ele estava com uma calça mais justa, um pouco rasgada, meio suja. Parecia ser um trabalhador rural. Tinha braços fortes, vestia uma camiseta que um dia havia sido branca, pois já estava amarelada. Usava botas, estavam repletas de barro. Pude perceber o quão era forte pelo efeito molhado que a chuva provocou também em sua camiseta... Vinha em minha direção. Lado a lado. Percebi que ele me fitava com os olhos... Culpa da camiseta transparente, aposto!

- Tá choveno muito, ocê não deveria tá aqui. - Sorri somente. Não só pelo português ineficiente, mas por perceber quão belo era aquele homem de aparência tão rude.

- A senhora num tá com medo não? - Outra vez sorri, mas parei, o fitei.

- Estou. Mas não tenho o que fazer. Como diz o ditado: se eu ficar o bicho pega, se eu correr o bicho come. Não tem onde me esconder aqui, ou tem?

Naquele momento parece que o céu começou a desabar sob nossas cabeças. Um trovão forte soou acompanhado de um assustador clarão, o que me fez dar um pulo em direção ao rapaz. Ele segurou em meu braço com sua mão forte.

- Vêm comigo. Tô fazeno um serviço aqui na região. Mexo com gado, cavalo e tem uma cabana aqui perto, é ruim, mas é onde eu descanso ou me escondo das trovoadas.

Sem saber o que fazer sorri novamente e o segui. Durante o trajeto percebi que o rapaz não tirava os olhos da minha camiseta molhada. Eu também não conseguia deixar de observar o quanto aquele homem simples e rude era gostoso. Comecei a fantasiar coisas...

Chegamos na cabana, ficava ali perto mesmo, do asfalto dava para vê-la. Sempre vi e pensei que era abandonada. Dentro não tinha muita coisa. Uma mesa feita è mão, duas cadeiras velhas. Um rádio antigo, paredes rachadas. Um colchão no chão, fogão a lenha, tudo muito antigo, rude,... Surreal? Nem um pouco... Havia uma garrafa de aguardente sobre a velha mesa.

- Quer um gole? A senhora deve tá com frio. Sei que ocê num deve tá acostumada com essas coisas, mas é bom pra esquentar e pra num gripar.

Mais uma vez sorri, só que agora fazendo que sim com a cabeça. Logo ele me serviu e também se serviu. De fato eu estava com frio, até batendo queixo, pois estava muito molhada; a chuva ainda não havia parado.

Sentados ficamos, tomando aguardente e nos olhando, frente a frente.

- Tenho uma toalha aqui, dentro do banheiro ali atrás, vou pegar pra senhora se aquecer. - E lá foi ele pegar a toalha pra mim. Minha cabeça não parava de fantasiar coisas. Aquela mão grande, quando pegou em meu braço, me fez estremecer. Eu já estava muito curiosa com o resto. O efeito da famosa cachaça começou a ser feito...

- Pronto, tá aqui. - Ele veio colocando a toalha sobre minhas costas. Segurei em suas mãos e falei.

- Não precisa me chamar de senhora, me chame de você. - Timidamente ele sorriu, tirou as mãos que haviam descansado sobre meu ombro, e se sentou novamente. Olhei fixamente para aquele homem. O desejei como nunca havia desejado outro. Sempre fui fogosa, e naquele momento tudo, até a chuva, estava me excitando.

- Qual o seu nome?

- Pedro. E o da senhora? Opa, desculpa, e o seu?

- Meu nome é Ana. Pedro, se importa se eu fizer algo para me aquecer melhor?

- Claro que não, a senhora... Opa, desculpa dona Ana. Eita, não! Desculpa Ana, pode fazer o que ocê quiser.

Sorri maliciosamente. Tirei a toalha das costas. Minha roupa estava encharcada. Ficando com aquela roupa molhada realmente adoeceria. Tirei o tênis, a meia... Ele me olhava. Pude perceber que engolia vez ou outra, além de seu peito mexer mais forte. Aquele homem delicioso estava tímido, e ofegante, bem ali na minha frente. Continuei... Tirei a camiseta. Ele arregalou os olhos... Fiquei de pé.

- Se importa se eu continuar, Pedro?

- Não, não. Eu tô até gostano, tá bunito demais de se ver...

Retirei o short. Fiquei ali, de pé. Calcinha branca também molhada, por fora e por dentro, e somente de sutien.

- É, eu estou muito molhada... - Percebi que ele já me comia com os olhos. Um volume se fazia naquela calça justa. Me aproximei mais dele. Abaixei uma alça do sutien, depois a outra... Ele salivava, engolia, lambia os lábios. Cada movimento rude e simples daquele homem me deixava cada vez com mais tesão. Tirei o sutien por completo. Cheguei mais perto dele ficando entre suas pernas já abertas (daquele jeito que só os homens sentam). Ele, já boquiaberto, só me olhava e desejava. Segurei em suas mãos as colocando sobre meus seios que já saltavam há tempos...

- Vem, me faz tua!

Ele apertou meus mamilos. E foi me puxando... Meus seios ficaram na altura de sua boca, com ele ainda sentado. Era um homem além de muito forte, grande... Começou a me chupar deliciosamente... Eu já escorri... Ele me chupava os seios e ia descendo até minha barriga, voltava novamente, me chupava mais. Abaixei um pouco e beijei sua boca. Aquele sabor de aguardente me deixou mais louca ainda.

- Aí, continua... Desde que te vi estou louca pra ser comida por você...

Ele desceu por minha barriga apalpando minhas nádegas. Pude perceber sua respiração forte e ofegante por sobre minha calcinha. Ele mordia de leve meu tecido molhado... Nestas mordidas dava alguns beliscões com os lábios em minha vagina sedenta por sexo. Suas mãos passeavam por minhas nádegas... Até que desceram, percorrendo meus glúteos já por dentro da calcinha... Enquanto eu só sentia sua respiração ali, me mordendo bem leve.

Neste momento eu já estava quase gozando... Gemia feito uma louca. Mais parecia uma fêmea no cio mesmo. Até que ele, mais forte... Retirou minha calcinha bruscamente com a boca. Me deu uma cheirada que... nossa! Parece que naquele momento o homem enlouqueceu... Foi como se um cão tarado por sexo tivesse sentido sua tão desejada cadela no cio!

Fui literalmente comida! Abocanhada! Ele caiu de boca em mim. Com força. Naquele momento o homem simples e tímido deu lugar ao selvagem e rude. Eu escorria muito, ele lambia, me sugava, com força. Parecia uma máquina. Sua língua me invadia... Eu gemia cada vez mais, mais alto. Estava adorando aquela força toda. Aquelas mãos grandes e fortes que puxavam minhas nádegas em sua direção. Parece que ele queria me penetrar com a boca inteira, com a cabeça toda! E foi assim... De repente, sem mais, ele se levantou me beijando alucinadamente.

- Sua vadia, você quer ser comida, né?

Abriu o zíper da calça e abaixou um pouco. Fiquei assustada, apesar de louca de tesão, quando vi aquele pênis enorme saltar pra fora, o maior que já vi... Grosso, muito grosso, uns 22 cm de muita veia saltitante, e uma cabeça assustadora.

Fortemente ele me segurou pelos braços. Fui levantada para o alto já chegando perto da mesa velha da cozinha. Lá ele me sentou sobre a mesma, era muito alto, como já falei. Abriu minhas pernas com muita força e brutalidade, senti certa dor, mas estava tomada pelos instintos mais primitivos... Comecei então a acariciar aquele lindo abdômen forte, queria vê-lo sem camisa, mas ele logo me empurrou sobre a mesa mandando que eu ficasse quieta.

- Fica aí, sua vaca, agora você vai ter o que merece!

Quando dei por mim, aquela cabeça enorme de pau estava apontada na minha direção. Sem pena nem dó ele o encostou em mim, em minha vagina, forçando a entrada. Pensei que seria cuidadoso pelo tamanho, mas não. Quando vi já estava todo dentro de mim. Dei um grito, pois doeu, mas como falei, o prazer era maior... Comecei a gritar e gemer feito louca. Era uma mistura de dor e desejo. Ele parecia uma máquina de sexo. Ficou socando, socando forte... Parece que estava fazendo amor com uma égua, ou algum animal qualquer... Na realidade acho que era assim que ele estava me encarando naquele momento.

... Segundos, minutos, bombando dentro de mim feito um louco. Não perdi a oportunidade e apertei, engoli com a buceta e senti cada centímetro daquele pau maravilhoso dentro de mim. Resolvi ser surreal e vestir o personagem, fui uma égua, vaca, cadela, puta, vadia e tudo o mais, e estava adorando... Fui fodida de maneira gostosa e forte, como nunca havia sido. O homem não gozava, e parecia querer mais... Socou mais, mais, mais forte... Sentia ele tocar meu útero... E hum, era maravilhoso!

Até que... Depois de muita dor, muito prazer, muita estocada... - Gozei como nunca! - Ah! Uma fêmea de verdade... Ele se acalmou após perceber que eu havia gozado, mas não sossegou. Novamente me pegou com força me jogando no tal colchão velho que estava no chão. Eu estava cansada, caí de costas. Ele tirou a calça, a camiseta... Pude ver aquele abdômen que tanto queria. E veio por cima de mim... Me pôs de quatro. Eu nunca havia dado por trás... Estava louca, cadela,...

- Vai, sou sua, já falei! Come esta sua vaca todinha, como quiser...

Ele me invadiu por trás. Arrombou literalmente. Antes enfiou o dedo, mas com tanta força, tão rápido... O pau dele estava molhado por meu gozo, isso facilitou a penetração. E foi... Entrou de uma vez só... Mais estocadas, mais forte... Achei delicioso, arrebitei a bunda pra trás, fechei os olhos, e deixei vir o prazer... Mexi os quadris, rebolei, queria ver aquele homem gozar muito dentro de mim... Vai e vem... Sem parar... Hum... – Soca! Mais, mete na tua puta... Assim! – E foi... Ele gozou dentro de mim. Senti todo aquele sêmen a me invadir, me aquecer, me possuir... Me comer! O belo homem desabou sobre minhas costas com aquele abdômen definido e peludo... O pênis ainda dentro de mim. Ele já estava mais calmo, tirou devagar. Logo se deitou ao meu lado...

- Sempre te vejo correndo por aqui.

- É? Mas eu nunca te vi...

- É. Sempre quis conversar com você, mas ficava sem graça. Na realidade eu sempre soube que você era faminta por sexo...

- Hum, isso é verdade.

- Tenho uma fazenda aqui perto. Estava trabalhando na roça, faço veterinária e gosto de cuidar diretamente dos animais que crio.

- Ah, é? Oras, mas seu vocabulário...

- Ruim, não? Sempre me interessei por você. Quase todos os dias eu vou ao banco onde você trabalha, vestido de maneira social, te olho, mas você nunca me nota...

- Seu danado! Nunca percebi mesmo...

- Pois então. Hoje resolvi fantasiar com você. E daqui pra frente eu serei o que você quiser!

- Hum, é mesmo?

- É sim, peça!

- Então agora quero que seja minha mamadeira...

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
23/06/2018 20:09:37
Parabéns! Nota 10.
09/05/2013 16:32:15
Delicia de conto!!! 10 pra vc safada!
27/11/2012 20:09:03
Adorei o seu texto, muito bem narrado, pena que você não anda mais por aqui...
29/10/2011 18:01:38
nossaaaaaaaaaa adoro mulher a sim bem fogosa ,me deichou de pau durro aqui nossaaa me add ai
24/08/2011 17:42:27
Olá minha gostosa, Leia o meu conto: //remontotdelka62.ru/mangafap/texto/chamado roteiro pra um filme pornô e quem sabe você gosta, me dê noticias...
29/06/2011 20:20:04
boa!!
17/05/2011 07:58:50
Um tesão! Parabéns!
13/03/2011 11:20:17
Noossa vc é muito cachorra!! Mas realmente pra quem gosta de fuder não tem como resistir a certas oportunidades, como costumo dizer: "foda adiada é foda não dada" mBOM MESMO... To com um vibrador aqui imaginando eu nessa situação...
15/02/2011 08:20:20
Como vc mesma disse, surreal. E gostoso de ler e se imaginar. Mas nao teria coragem de ir tão longe. Nao ainda kkkk
31/01/2011 19:33:57
bom contooo puxa gostaria que vc lesse os meus clica no meu nick nota dez
15/01/2011 18:15:45
muito bom seu conto,parabens...de uma olhada nos meus nao sou tao boa assim mas talvez vc goste...
15/01/2011 12:33:30
Só um comentário acerca da obra de Milan Kundera. "A Insustentável Leveza do Ser" O título significa: A insuportável superficialidade das pessoas. É uma crítica, não elogio.
Ale
01/01/2011 23:37:54
Que piada!!!
21/12/2010 12:18:54
deliciaaaa
04/06/2010 17:17:54
adorei seu conto . escreva pra ou me add no msn
17/05/2010 10:55:08
Bom, conto
15/05/2010 08:30:30
Fiquei contente por vc!
03/05/2010 00:41:31
Excitante! bem, adoro essas loucuras!!! parabens!
03/05/2010 00:38:31
Muito Excitante! bem, bom saber que existem outras mulheres assim...
27/04/2010 12:58:26
Nota 10. Mto excitante

Listas em que este conto está presente

Destaques
Os contos que foram destaque do site

Online porn video at mobile phone


xvideos caindo short do garoto no banho de baldehttp://porno contos eroticos meteu e gozou dentrosexo.gay..enxet.cu.de.leiye.lésbicas vê amiga no banho e agarra ēła forçaas b********* fininha e g****** jato de gala em vídeoxvideos nynynha Contos vi a janara fudendoconto erotico briocoNovinho dotado fudeu a bucetinha da mocinha e arrancou as pregas do cursinho delamulher tarada morando sozinhaassistindo um filme no sofá chupando uma rola grossaconto eróticose masturbando com o cu enpenadopau na buceta da éguinha ponei.negao pega moha mulher e fode ela toda sexIsac -Hugo |Contos Eroticos zdorovsreda.rucontos eroticos vizinha ladraxvideosbrasileiras peittnovinha dando ciuminho pó dotadocontosmaesafadafilha acoda com o pai efiendo odedo na bucetilhacontos eiroticos leilapornmulher secura na pica do negao quando encosta no cucontos de filha crentever uma crente casada casano um pauzudo pra dar o cuTia brancona mamando leite da pica do sobrinhofodendoirmazinha novinha gostozinha depois mãe saiSE O MACHO FOR NEGRO E CACETUDO SUA ESPOSA JÁ ERA XVídeos casada que adora segurando cacete muito rebaixadacontos velho cacetudo corno fotosconto gay meu amor psicopataxvideos caseiro emfermera mindando banho eaibucetadaoliviavideo cazeiro novinha levando pica do painho em baixo da cobertasarrando a bundinha da minha filinhaleskka chama amigo para tomar banho juntocontos gay limpar a casapano vidio garotas com bucetas jiganteo botãozinho do zíper escapou da bolsa como coloca fácilinstalar música no musio só linguadinha na ppk da novinhacontos chantagiei a filha pra comer a netaas pantera tia viuva dando por seu subrinho e o cunhado pegameu sogro meu donoContos Eroticos de inseminação moleque enchem praia nudismodeixou até ele chupar o pescoço dela porque a pessoa só deixa quando está bem estigado alisou encanador sexominhas calcinhas conto eroticocontos eróticos com marido bêbado e desconcentração bem dotadocontos eróticos carvoeiro sujoIrmao come cú irma dormímdo ela gostaquero ver homem lascando a b***** da mulher e a mulher gemendo de prazer arrotogozando dentro elas brigamcontos eróticos minha esposa benzido pelo pai de santopadastro come a enteada loirinha e faz ela gosar varias vesesprica cavalame fode seu desgraçadoxvidiocasada se fudeu na camaXVídeos a comadre com pai transando na Noite Escuraverbater punhetas e esporrar mais que uma vez seguidascoroas da pomba cabiluda alucinada em dar a pomba pro genrogranfina xvidiisnegao cacete grosso preto vigilante comendo cu do cliente apos o expediente gosando dentro video amadorContos eroticos sou uma puta enguloporno 23 centimetros de pica tirando merda no cu do novinho xvideoseu conto cunhada casada ver o cunhado de pau duro e fica loucaMeu marido viu meu cu todo arrombadocontos eroticos de mulheres ricas tendo o cu arrombado pelo borracheiroporno brasil a emtiada amadrasta i o travestiscontos eiroticos leilapornContos eroticos minha esposa na praia de nudismoquero ver conto erótico sapeca safado gostoso amor dentro do carro dentro da capoeiraxvideos entertida no computadoravô goza na boca da neta loira de camisolinhacontos eroticos feminizaçao do garotinho maevid porn casei entead fio dental fas gosa ponh casanovinha alemã da xana lisina abrindo a portabrasileira novinha do rabao com calcinha de redinha batendo punheta pro rapais ela geme muito na ohro qui ele ta gozandoporno escondido seguestro dpContos eroticos virei corno contra a minha vontadevideo de sexo tia batendo uma descabacando sobrinhoestrupadaporladraocasadinha novinha dando abusetinha xxvideocumendo a tia fazendo unia pornodoido Xvidio minha conhada so usa curtinhoContos eroticos elacareca peladaviadinho fui tomar sorvete contos eroticosxvidio com baiana do acarajéver x vedeo comendo cu das novenhaswww vovo adora minha rola preta e chora guodo boto no cu dela porno .comxvideo peguei a mãe e arranqueo cabaco da duas filhasconto porno lesbico praticando scat