No confessionário

Um conto erótico de Ex Padre
Categoria: Heterossexual
Data: 09/06/2019 20:29:30
Última revisão: 10/06/2019 23:44:22
Nota 10.00

Olá pessoal, essa é a primeira vez que entro e escrevo neste site. Nasci em uma cidadezinha região de Sorocaba interior de SP numa família muito humilde, minha mãe para tentar sustentar seus dois filhos fora trabalhar na lavoura e como era albina faleceu cedo devido a exposição ao sol adquiriu câncer de pele quando eu tinha apenas 3 aninhos de idade. Com o fato ocorrido eu meu irmão tivemos que morar em um abrigo católico já que nosso pai era caminhoneiro e desde quando eu nasci saiu para uma viagem ao Nordeste e nunca mais retornara para casa.

Os tempos foram difíceis naquele internato e a obrigatoriedade com a religião era constante. Aos 14 anos tomei a decisão de servir a Deus e entender melhor os dogmas católicos, a lastimidade do mundo e a tal existência de Deus. Por quase 10 anos passei por diversas privações e provações aquilo mexia comigo de tal forma que a cada instante essa dubiedade de querer conhecer Deus ao mesmo tempo não se afastar muito das coisas terrenas tornara-se mais estarrecedora em minha vida e mente. Aos 26 anos eu já participara de missas, batizados e celebrações fora do Monastério e foi a partir desse instante que as coisas ficaram de ponta cabeça. Confesso que no começo era tudo estranho e desigual, as pessoas iam a Igreja central onde eu atendia as confissões e recordo-me que um fato chamou minha atenção. Era período de Pascoa ano de 2010 uma segunda feira dia lindo ensolarado por volta das 9:30 hrs, eu tinha cordado um pouco tarde do convencional, então para não me atrasar mais, coloquei uma cueca samba calção e por cima a batina e me direcionei ate a sacristia. Chegando lá estava o Diácono e a atendente Sara e de repente uma mulher muito bem vestida e cheirosa entrou e perguntou, posso falar com o Santo Padre? Virei-me em direção a mulher e conduzi-a cabine do confessionário que ficara ao fundo do lado direito do altar central da igreja. Ela murmurou dizendo, nossa esta escuro aqui, eu retruquei dizendo que estávamos cortando gastos, ela acenou que sim com a cabeça entendendo tal situaçãoEntramos na cabine, me apresentei fiz o sinal da cruz e perguntei seu nome, ela respondeu que se chamava Zilda disse que era casada e que não era católica.

Questionei-a, por qual móvitos razão e circunstancias ela estava ali em uma Igreja da qual ela não pertencia? Ela relutando meio que entristecida respondeu falando baixo com uma voz doce e suave que devido a seus avós e seus pais ela foi obrigada a participar da Igreja Adventista desde quando criança.

Sua vida sempre foi guardar o sábado, ir a escola sabatina, participar dos eventos adventistas e é claro sempre se relacionar com pessoas ligadas a igreja. Aos 17 anos ela se envolveu com um rapaz líder do grupo de desbravadores, ele era quase 10 anos mais velho que ela e quando seus pais descobriram a relação pecaminosa obrigaram-na a se casar para não denegrir a imagem de sua família. Por um instante o mundo parou, o silencio tomara conta daquele lugar, tudo escuro, apenas a pequena luz amarela da cabine do confessionário acesa, ela começou a soluçar resmungando dizendo que uma de suas vizinhas católica que conhecera a pouco tempo orientou-a que procurasse o novo sacristão da igrejinha do Bom Jesus porque ele parecia ser um homem de bom coração e que talvez ele pudesse ajuda-la. E ali estava ela na frente do “Santo Padre” e, eu meio sem graça pedi-a que continuasse sua confissão. Por um bom tempo ela falou dos seus problemas, sobre seu dia a dia, dos cuidados com a casa da falta de atenção ao longo dos seus quase 20 anos de casamento, falta de carinho, de sua relação abusiva, dos maltrato do marido e das investidas do pastor de sua igreja e ate mesmo de seu sogro, ambos freneticamente loucos para senti-la carnalmente.

Meio confuso mas curioso perguntei, como assim carnalmente? Ela sem redondas falou que seu sogro era um homem de duas faces, em casa todo durão machista e controlador mas na igreja era tarado pelas irmãs ate mesma com as casadas e que ela ouvira diversas historias das irmãs mais velhas da escola sabatina de que ele costumava enconchar e apalpar a bunda das irmãs nos cultos e em eventos da igreja e que o Pastor era jovem casado mas que dava seus pulos fora do casamento e que vivia elogiando ela dizendo que Deus foi maravilhoso e criativo dando a ela curvas belas e perfeitas referindo-se a seu corpo e seu quadril.

Em minha cabeça tudo estava confuso e embaraçado, confesso que pela primeira vez aquilo estava mexendo comigo e um calor começou a aflorar em minha pele em meu corpo, não sabia se dava um basta ou deixava ela continuar afinal nunca havia sentido isso antes e não sei dizer o porque mas me interessei intuitivamente pela historia daquela mulher e o pecado tomou conta do meu ser.

O que nos separava dentro do confessionário era eu sentado em uma cadeira uma cortina de pano fino pendurada fixada como um divisor e ela em uma poltrona confortável e macia do lado oposto, com o clarão da luz dava para ver suas belas coxas grossas seu vestido acima dos joelhos sua blusinha aberta por cima do vestido com seus seios apontados para frente eu sentia o clima tenso no ar com a voz suave e tremula daquela mulher aos poucos meu pênis começou a crescer, confesso que fiquei meio incomodado com tal situação algo tomou conta do meu ser meio que transpirando e tremulo fiquei com a segunda opção, deixei que ela continuasse sua confissão. De repente, o inesperado, ela diz Padre o senhor é um bom homem é um homem de Deus, por favor, Padre me da um abraço, eu preciso de atenção e afeto. Tentei acalma-la, mas via naquela mulher uma necessidade de um abraço de um carinho e no impulso da situação levantei meio que temeroso abri a leve cortina ela já meio que se levantando segurou minhas mãos chorando e me abraçou. Outro instante de silencio, aos poucos nossos corpos se juntaram, ela soluçando em meu pescoço, seus lábios quentes e úmidos tocando minha pele, um arrepio imenso tomou conta do meu ser, para piorar neste dia eu vestia apenas uma cueca samba calção e por cima apenas a batina saião como roupa. Meu pênis parecia que ia explodir, não dava para conte-lo, tentei me afastar, em vão, o pecado me possuía, nesse instante eu já cutucava a frente daquela mulher que ate suas pernas tremiam, seu vestido soltinho de pano fino parecia a segunda pele do meu pênis, o inevitável aconteceu.

Fui descendo minhas mãos instintivamente e sem querer ou querendo toquei a polpa de suas nádegas que por sinal eram grandes e macias ela não fez nenhum gesto de repudio, sem reação da parte dela abaixei ainda mais minha mão direita ainda que tremula dei uma apertadinha em sua nádega e ela sussurrou em meu ouvido, que foi isso Padre?

Sem dizer nada fui tentar tirar minha mão e ela segurou colocando sua mão em cima da minha e disse, continua Padre esta gostoso. Então naquele minuto irracionalmente neguei toda minha vida dedicada a Igreja e no pecado cai. Dentro da Casa Santa abracei forte aquela mulher pela bunda e trouxe-a quase que para junto de meu corpo, fui enfiando minhas mãos para dentro de seu vestidinho, sua calcinha minúscula enfiada no meio daquelas nádegas e ao tocar sua pele quente e macia, meu coração quase parou, meu batimento cardíaco disparou, me faltou ar, meus instintos selvagens afloraram a pele, nossos lábios se tocaram, era tarde, não tinha mais volta, encontrei o caminho do inferno, meu cabaço estava quase que se arrebentando sozinho, o proibido aconteceu!Continuamos a nos beijar sem dizer nada aos poucos ela se virou ajoelhando-se na poltrona ficando de quatro e disse, vem Padre, me deixa feliz hoje.... Meu Deus tira esse pecado de mim dizia minha mente racionalmente, vai com tudo dizia meu desejo pecaminoso, não acreditava o que estava acontecendo, a preocupação de alguém chegar ali, o arrependimento de estar traindo Deus por estar com uma mulher casada e mais o agravante de ser Padre.

Tudo ao mesmo tempo, mas era a cabeça cabaça de meu pênis albino branquinha avermelhada que me controlava. Tentava olhar para os lados, desviar minha atenção daquela formosura de mulher com aquela bunda enorme de quatro com a calcinha minúscula atolada no meio de seu rego em tão pouco tempo, eram muitas coisas emaranhadas em minha cabeça ao mesmo tempo em que havia muitas duvidas e desejos.

Não hesitei, com medo com receio eu pequei, deixei de ser o “Santo Padre” para ser o “homem do pecado”, sem hesitar, fui pra cima daquilo tudo e meio desajeitado ergui minha batina com o pau todo melado dentro da cueca encostei no meio de suas nádegas e senti o toque carnal. Meu Deus que loucura, perdoa-me, não sei o que faço, meio apressado sem preliminares, ansioso de todas as formas e vontades, puxei a minúscula calcinha para o lado esquerdo, abaixei-me e comecei a lamber e chupar no meio de seu rego de baixo para cima por diversas vezes, depois fiquei em pé e encostei a cabeçona virgem e inchada de meu pênis na entrada daquela gruta meio cabeluda quente e úmida e sem jeito fui adentrando-a.

Era gostoso estranho e doloroso ao mesmo tempo, a pelinha fina que envolve o pênis não arregaçava, mas com insistência segurei-a pela cintura e empurrei meio com força meu corpo contra o seu e de soquetão adentrei-a tocando minhas bolas em suas nádegas.

Que loucura, que delicia, estou dentro de você, falei baixinho em seu ouvido e ela resmungava mete Padre, come essa buceta, come, hoje vou tirar seu cabaço, hoje você vai conhecer o paraíso, parecia o capeta me levando ao inferno, mas que inferno gostoso e prazeroso. Não demorou muito, com os movimentos de vai e vem, que eu fazia com força, o barulho aumentando, nossas respirações ofegantes eu não aguentei e segurando firma sua cintura tendo aquela visão de sua bunda grande redondinha estoquei mais duas vezes e jorrei por diversas vezes dentro daquela gruta quente e úmida o liquido do pecado. Gozei tanto que escorria pelas pernas de Zilda, Uffa que loucura, tirei meu pau de dentro daquela gruta ensanguentado amolecido e pingando porra misturada com um pouco de sangue, notei que tinha perdido meu cabaço, então tremulo, sem energia quase que acabado mas feliz via a mulher limpando meu pênis com sua blusinha para não sujar minha batina, eu meio que não acreditando no que tinha feito, cansado mas feliz nos recompomos, ela ajeitou seu vestido, me agradeceu deu me um beijo no rosto disse ainda Padre Deus te abençoe e saiu....

A partir desse dia minha vida mudou por completa, Zilda, não saia mais de minha cabeça, eu tinha conhecido o caminho do inferno, eu entrei na imensidão do paraíso. Aos poucos batia o arrependimento ao mesmo tempo a vontade e o desejo para sentir novamente aquela mulher que nunca mais aparecera....

O tempo passou, e não sei explicar o porque minha paroquia começou a ser frequentada por inúmeras mulheres uma mais linda que outra .

Até que um certo dia fui meio que obrigado a conhecer a porta do fundo da irmã Salete, mas isso fica para o próximo conto ....

Comentários

Comente!

  • Desejo receber um e-mail quando um novo comentario for feito neste conto.
23/06/2019 12:03:11
Hmmm, enredo magnífico, amor. Achei excitante essa transa com a garota. Com certeza ela foi confessar já com outras intenções. Rsrs. Conte logo para nós como foi essa na porta de fundos da irmã Salete. Conto 10, preciso falar mais? Obrigada pela leitura do meu. Leia também como foi meu primeiro anal com um primo. Beijos e volte sempre.
11/06/2019 14:05:03
Seu jeito de escrever me fez enxergar a cena toda. Adorei
VIC
11/06/2019 11:16:22
Que delicia de historia amigo...obrigado pela visita, adorei e ja quero ler logo o proximo conto..bjs
10/06/2019 19:25:03
Conto delicioso, querido. Com enredo envolvente e transa excitante com essa mulher. Imagine se eu fosse me confessar então. Rs. O texto está ótimo e se separar os parágrafos ficará ainda melhor (facilita a leitura). Deixo a nota dez. Se tu não tiveres preconceitos, venha ler os meus. Beijocas.
10/06/2019 10:02:17
Delicia de estreia aqui na casa. Pela educação que recebemos, pecados, tabus, proibições mexem mesmo com a nossa cabeça. Porém, depois que vivemos os prazeres da carne, tudo passa a ser secundário. Adorei a leitura excitante do teu ¨desvio¨ com essa Zilda. Beijos da Vanessa.
10/06/2019 09:14:38
Querido, antes de tudo obrigada pela visita ao meu conto. Não houve nenhuma traição a Deus. Afinal, o celibato, o adulterio e outras proibições, são dogmas criadas por homens das Igrejas, jamais pelo Criador. Viraram convenções sociais, que mesmo tabus, não conseguem sobrepor à vontade divina e sua ordem ¨Crescei-vos e multiplicai-vos¨. Para que isso fosse possível, aí sim, está sua Lei inexorável: o desejo incontrolável. Adorei a narrativa e dou nota 10. Bjs babados desta ¨pecadora¨.
10/06/2019 08:07:13
Maravilhoso, gatas vamos tc? chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS,UM,TRES,OITO, TRÊS,TRES,QUATRO,OITO MARCOS BJS NAS PEPECAS.. podem mandar msgs gatinhas..os amigos que gostam de dividir a mulher pode chamar também...
10/06/2019 08:02:38
Maravilhoso, gatas vamos tc? chama no whats....ONZE.NOVE, SEIS,UM,TRES,OITO, TRÊS,TRES,QUATRO,OITO MARCOS BJS NAS PEPECAS.. podem mandar msgs gatinhas..os amigos que gostam de dividir a mulher pode chamar também...
10/06/2019 08:02:14
Muito bom
10/06/2019 00:58:33
Eita

Online porn video at mobile phone


goszando.dentro.da.boca.sem.tira.o.pirusondei meu pai no banho contos eróticos gayNovinha fica facinha e chupa o pau de todo mundo e da a buceta pra vários eo vídeo vazou na internetconto erotico noiva bebadamundobicha.historia de matuto brasileirohomem leva uma mulher a loucura de tanto ecitalaconto erotico gay meu dono dei meu cu de presente de aniversariorealizei minha fantasia com meu tio e seu amigo negâoliberalina vadia traído foi filmadaxxvideos vídeos porno doido entre cunhadaCriatura estranha achando no açude de oros imagens de mulheres chupando o peito uma da outra com muito prazerlesbicaspediu para fazer anal ,e cacou no paunao aguentouwww.relato mulher de corno emgatou com cachorro.com.brergueno.a.sainha.da.fernandinha.e.meteno.a.picafudi ela e o namorado delaestorei a travesti safada contoQuero dar minha buceta e meu cuzinho em um encontro casualnovinia alizando sua bucetiniacontos eroticos machucando a casadinhacasa dos contos eroticos sardentaFutebol dos Heteros ? OU Nao ? cap 28sexo velho etiadas vazouxvideo frestinhocaete na porca pornocarol celico fudendo putinhacontos eroticos de coroas fazendeiras dando pro empregado com o maridonovinho lendo no park louco de tezao por um homem forte gostoso e peludoOlhando a prima de causinha de pau duro xsvidiovideos de porno doido com coisas indessemtepilates sacana com minha esposa contodez ano padastro gosa na minha bocaescrava sexual do papai contoscontos gay de conxinha com o idolosou casada e deixei meu genro gozar dentro da buceta sem camisinhalevando pissada ate caga porno doidoContos eroticos de sexo com genroXvidio minha conhada so usa curtinhomenina novinha sentido jatos de porra do pai pauzudovídeo pornô só gordona dos peitão arrastando no chão bem grandão maior que de vacaporno. minha filia foi. toca. uma. pueta xorouler contos eroticos menageporno++o++encanadorporno conhecendo minha primaCasada apalpando amigo por baixo da .comesa porno 10Tia cachorra fudendo com o marido da sobrimhaCaíque levando rola no cútravestis iper avantajados bg coki xvideopornodoidosenhoraporno negao fas muleca grintaapanhar de chinelo pai contovoyeur cunhadabonezinho é bem novinha pornô abrindo a sua x********conto erótico gaay sonbra de gaelEMYRYZ-CASA DOS CONTOS ERÓTICOS|zdorovsreda.ru"a história de betinha"mulher dançando de vestido curto que pode aparecer a b***** dela pelada cuidar de abaixar vídeo pegadinha baixarlevei minha esposa num glory hole conto realrapas novinho dando cu pro negao rola muito grossapeguei meu irmao gay e minha irma virgem fudendo nao aguemtei cumi os doissografudeno com geroporno empurrou de uma vez que ela pinotouContos éroticos taradão caralhudo arrombando uma prostitutauma piroca cabecuda e cheia de veia me arrancou sangue do meu cu contos eroticofudendo com sobrinha apos um sono profundovideo gay galeguinho botando viado pra mama fingindo dormirhistoria de avosexo com.soblinhascontos erot os y iccontos eróticos pegando a gordas e pedreirosnegra levou uma estocata na buceta e quis correr e dotado segurou e meteu tudoContos eroticos de sogras coroas bem rabudasjaponesa gostosa de shortinho damdo xvideoporno gratis moça sendo agarrada apód sair do banhocontos eroticos ela me deu o cuzinho/lesbicapornobaiano novinhas transando e se masturbando com a b***** bem gordacontos eroticos sou filha única em casa so andamos peladosCONTOS GAYS ACABEI DANDO O CU PRO MEU INIMIGOpornodoido chupando.teta da netinhaconto erotico gay macho dominador gosta de maltratar viadocontos eroticos ela me deu o cuzinho/lesbicaxvidio intiada novinha epega enquanto trocava de roupacontos eroticos tive q mostrar meu rabao p bandidosContos eu e mamae somos putas do pai e amigos delecontos erotcos negao poderosonegao arebentou o cu dessa mulher e ate arebentou todas as pregascontos eroticos corno deixa o proprio filho foder a mulherminha tia lig pra minha e pede pra mim dormi na sua casa eu comi sua bocetaBuceta criando pentelho fudendo brasileira adultamostre video de mulher deixando menino pegar na buceta dela por baixo do brstido videos de cunhada se esfregando no marido da irmaxnxx o kara metendo no cu dela ela cumessa a si batefofoqueira.mim.da.a.bucetaFutibol dos Heteros ? OU Nao ? cap 28contos eróticos com minha irmanzinhamulher sendo mastrubada no honibos pro um estranhocontos eróticos eu****** minha mãe gostosa na praia de nudismo